quarta-feira, 9 de julho de 2014

O que aprendi nos relacionamentos

Aprender é uma tarefa muito árdua, seguimos o mesmo padrão de comportamento durante muito tempo achando que ele funciona, até o dia que nos magoamos o suficiente para crer que ele não serve mais. Aprendi ao longo do tempo que tentar tapar o sol com a peneira, tentar fazer com que as coisas pareçam menos piores do que realmente são e tentar tornar a nossa imagem melhor do que realmente é não passa de pura enganação, de mentira. E mentira é a pior coisa que há, pois sustentá-la vai se tornando cada dia mais difícil até o dia que ela édescoberta. Uma vez me disseram que confiança é como um espelho que vai se partindo, mesmo que junte os pedaços ainda dá pra ver as partes quebradas. Nunca dei importância pra essas coisas na época, achava que poderia compensar o fato de mentir e tentar melhorar a minha imagem fazendo de tudo um pouco, carregando água na peneira, ajudando, agradando e incentivando, achava que  faria com que ao colocar tudo na balança as coisas boas se tornariam maiores do que as ruins, mas ao longo do tempo as boas foram sendo esquecidas, mas a mágoa provocada pelas ruins nunca foi esquecida. Esse é o problema de sermos inconsequentes, sempre achando que os outros são obrigados a aguentar nossos defeitos, nossos surtos, nossas dissimulações, não são. Quem gosta de verdade aguenta enquanto pode, mas esse tempo não dura para sempre, infelizmente. Depois só restam hipóteses de como poderia ter sido se tivéssemos tomado a decisão certa, se tivéssemos feito as escolhas certas. Sabemos todos que pessoas perfeitas não existem, todos temos defeitos, alguns maiores que os outros, só temos que decidir quais deles podemos aceitar e quais jamais aceitaremos. Durante muito tempo achei que querer um relacionamento de verdade, que querer ser assumida publicamente era um defeito meu, que eu queria demais. Depois de muito conversar com outras pessoas, com caras mais velhos, percebi que não, que isso é o mínimo a que todas temos direito. Felizmente os relacionamentos nos ensinam a não ser mais tão tolerantes com certas coisas, não deixemos que a paixão nos cegue, não aceitemos o que nos incomoda desde o início ou vamos remoer isso para sempre até que não exista mais sentimento algum então só vai sobrar isso, o que foi ruim, o que não deveríamos ter aceitado. Hoje eu acredito que saiba muito mais o que quero do que antes. Sempre deixei a vida me conduzir, os relacionamentos me conduzirem, sempre achei que no tempo certo tudo aconteceria naturalmente, mas não aconteceu. Esse é um erro fatal, se queremos algo temos que tentar conseguir, senão der, bola pra frente e tentemos novamente, com outro cara. Algumas vezes fico achando que os relacionamentos se estendem tanto porque temos fé demais neles, fé demais nas pessoas. E não deveríamos. Deveríamos ter fé em nós mesmos, somente. Damos tanta importância aos relacionamentos, os colocamos num grau de importância tão alto que quando acabam nos sentimos extremamente vazias e sozinhas. Sei bem como é isso, essa visão precisa mudar também. Relacionamento não é tudo, ninguém é obrigado a viver pra gente e muito menos nós somos obrigadas a viver para alguém. Temos que nos bastar sozinhas, para então quando encontrarmos a pessoa certa sabermos viver sem ela quando ela não estiver mais lá. Confesso que ao me relacionar perdi o gosto de sair sozinha, perdi o gosto pela minha própria companhia solitária, este é um erro muito grande. Porque a maioria das mulheres fazem isso, deixam os amigos de lado, só saem com os parceiros e a vida acaba sendo controlada somente pelo relacionamento. Então quando acaba temos que redescobrir tudo de novo, a gostar da nossa própria companhia solitária.  Aprendi também que para nos relacionar bem precisamos sim ceder, aceitar, engolir o orgulho várias e várias vezes em nome de algo maior, mas jamais devemos nos sacrificar por causa de outra pessoa. Jamais devemos amar alguém mais do que a nós mesmos, isso só leva a uma desilusão contínua, porque acabamos criando expectativas demais e ninguém veio ao mundo pra agradar ninguém nem suprir as expectativas de ninguém. Aprendi com o tempo que esperar reconhecimento não é a melhor forma de conduzir a vida e o relacionamento, façamos sem esperar por isso, muitas vezes as pessoas não sabem reconhecer o que fazemos como achamos que deveriam, mas isso também não cabe a elas, pois cada pessoa tem uma visão da vida e prezam coisas diferentes. Aprendi também que devemos fazer o que nos faz feliz e nada mais, não devemos sair quando não tivermos vontade, quando estivermos num bad hair day, ou simplesmente num dia ruim, passando mal, muito menos fazer mais que isso para agradar, para que isso tenha algum valor algum dia, com o tempo percebemos que nada disso tem valor para a maioria das pessoas. Voltemos novamente ao início, que jamais devemos prezar uma pessoa em detrimento de nós mesmos. Não é questão de se a outra pessoa merece ou não, a questão é até que ponto somos capazes de ir para conviver bem, para agradar, para manter um relacionamento. Jamais aceitemos um relacionamento em que não possamos ser nós mesmos, em que precisemos nos podar, nos policiar a todo momento com o que vamos dizer, como vamos agir, de fato ninguém merece alguém que não aceite quem somos. Ninguém merece ter que mudar sua forma de agir, de vestir, emagrecer, simplesmente pelo fato de não sermos aceitas como somos. Então é bom tomar cuidado, se um relacionamento faz tudo isso com você, ele não serve.
Bem, não existe curso, nem livros, nem filmes que nos ensinem como mágica a nos tornar pessoas melhores e a ter relacionamentos melhores. No fim a recíproca é verdadeira, nada muda se a gente não mudar, não tem outra maneira. Porque afinal é insanidade fazer tudo do mesmo jeito e esperar resultados diferentes. Se quer um relacionamento diferente, tem que fazer diferente. É o que irei fazer numa próxima oportunidade, senão der o melhor jamais o terei. Então acredito que tenha aprendido alguma coisa afinal. Ninguém gosta de perder, principalmente aquilo que considerava seu. Então algo que eu sempre vou me lembrar é que nunca devo tentar ser diferente do que sou, nem melhor nem pior, apenas eu mesma. E que definitivamente não tenho resposta para tudo e preciso aprender a dizer não quando não quiser falar sobre determinado assunto, não querer falar sobre algo é direito de todo mundo e é melhor que mentir em qualquer ocasião.  Como dizem a verdade dói, a suspeita corrói e a mentira destrói, é fato. Procure alguém que te incentive, que te ajude a se tornar alguém melhor, alguém que não só diga que você é linda, e não só entre quatro paredes, mas alguém que valorize o fato de você ser linda e ter escolhido ficar com ele. A vida é feita de escolhas, muitas vezes fazemos as erradas, outrora até fazemos as certas, mas muitas vezes as tornamos escolhas erradas por pecarmos demais. Que sejamos também pessoas melhores, menos vítimas do mundo, porque a verdade é que cavamos nossa própria cova, quase o tempo todo, depois não adianta mais chorar. Então façamos pelos outros o que fariam por nós, domemos nossa mente, nosso espírito e principalmente nossa língua porque felizmente não conhecemos ninguém que lê pensamentos e tem coisas que é melhor guardarmos só pra nós. A verdade dói mas nem sempre precisa ser dita, não estou dizendo que ela precise virar mentira, só que há coisas que não somos obrigados a falar. Afinal que atire a primeira pedra quem não tem algum espinho que só quer se livrar. Quem não tem algo que só queira esquecer e relembrar parece que só faz piorar. Não sejamos vítimas de nós mesmos. Que possamos aprender a nos perdoar e que tudo seja eterno enquanto dure.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, comentários são sempre bem vindos, mas seja educado, educação nunca é d+. Abraços e obrigada pela visita.